DEPENDÊNCIA DE SUBSTÂNCIAS
DEPENDÊNCIA DE SUBSTÂNCIAS

O que é?

Primeiramente, é necessário diferenciar entre o uso, o abuso e a dependência de substâncias psicoativas (drogas) pelos seres humanos.

 

Uso: O uso de drogas psicoativas (que causam alguma alteração no funcionamento do sistema nervoso) é bastante antigo e acompanha o desenvolver das civilizações. O uso, em geral, é algo moderado, recreativo, esporádico e experimental, que não acarreta prejuízos físicos, psicológicos e sociais.

 

Abuso: o abuso caracteriza-se por um uso nocivo de substâncias psicoativas, de má adaptação a elas, acarretando algum tipo de prejuízo biológico, psicológico ou social.

 

Dependência:  pode ser definida como uma doença crônica, na qual há uma relação alterada entre um indivíduo e seu modo de consumir uma substância. O consumo deixa de ser moderado e passa a ser descontrolado, associado a problemas sérios para o usuário e, possivelmente, para as pessoas ao seu redor.

Essas consequências no dependente podem traduzir-se problemas de saúde graves, como câncer, problemas cardíacos, hepáticos, depressão, falta de energia e anorexia.

 

A dependência pode ocorrer com drogas ilícitas (cocaína, crack, heroína, metanfetamina etc) e com drogas legalizadas (álcool, tabaco e medicamentos prescritos).

 

Por que a dependência ocorre?

A dependência química ocorre devido a aspectos biológicos, psicológicos (como o alívio de tensões emocionais), sociais (contexto socioeconômico e familiar).

Dentro dos aspectos biológicos, destaca-se o sistema de recompensa cerebral, que é responsável pela liberação das vias prazerosas, por meio da liberação do neurotransmissor dopamina. O consumo das drogas age sobre essas vias, levando, em geral, a uma sensação de bem-estar ao dependente.

Segundo a Associação Americana de Psicologia, aproximadamente 50% do risco de adicção (dependência) a uma substância é genético.

 

Como é o quadro clínico?

A Síndrome da Dependência tem alguns sinais e sintomas característicos:

  • Compulsão, saliência e relevância para o consumo – incapacidade de limitar o desejo de consumir depois que o consumo da substância psicoativa foi iniciado. Além disso, o consumo da substância vira prioridade na vida do indivíduo, que pode deixar outras atividades e relacionamentos em segundo plano.
  • Aumento da tolerância à substância que está sendo ingerida – necessidade de doses crescentes para atingir os mesmos efeitos antes alcançados com doses mais baixas.
  • Sintomas de abstinência – aparecimento de sintomas físicos ou químicos quando a substância é retirada ou diminuída. Esses sintomas podem variar de sudorese, taquicardia e falta de ar a convulsões e alucinações.
  • Alívio dos sintomas de abstinência pelo aumento do consumo – para evitar os sintomas desconfortáveis da abstinência ou para aliviá-los, a pessoa faz uso da substância.
  • Percepção subjetiva da compulsão para o uso – frequentemente, o dependente da substância não percebe seu uso como compulsivo.
  • Estreitamento do repertório – o consumo, que antes era restrito a ambientes ou contextos específicos sofre uma mudança de referencial. Por exemplo, o consumo em ambientes de trabalho.
  • Reinstalação após a abstinência – se voltam a consumir a substância psicoativa após um período de abstinência, os sintomas da síndrome podem rapidamente voltar a reinstalarem-se.

 

O que fazer?

Como diagnosticar?

O diagnóstico de dependência de substâncias requer uma análise profunda e geralmente inclui avaliação de um psiquiatra ou psicólogo.

Testes de urinae sangue são usados para avaliar uso de drogas, mas não são testes diagnósticos para adicção.

 

Tratamento

Apesar de não haver cura para essa condição, há tratamentos com acompanhamento a longo prazo. O tratamento depende do tipo de droga utilizada e de quaisquer problemas físicos ou de saúde mental que o indivíduo tiver.

Dentre esses tratamentos estão:

  • Programas que oferecem terapia individual, em grupo ou de família
  • Desintoxicação
  • Psicoterapia
  • Grupos de auto-ajuda
  • Tratamento farmacológico

 

 

Fontes

  1. http://www.who.int/substance_abuse/publications/en/Neuroscience_P.pdf
  2. https://www.nimh.nih.gov
  3. American https://www.danya.com/dlc/bup/pdf/Dependence_DSM.PDF
  4. http://www.apa.org/topics/addiction/index.aspx